Robert F. Bukaty/AP
Robert F. Bukaty/AP

Costa Leste dos EUA enfrenta nevasca 'histórica'; 5 mil voos são cancelados

Meteorologistas preveem até 90 centímetros de neve na região e problemas no transporte de dezenas de milhões de pessoas

O Estado de S. Paulo

26 de janeiro de 2015 | 10h25

(Atualizada às 15h50) NOVA YORK - A Costa Leste dos Estados Unidos, da cidade de Filadélfia, passando por Nova York e seguindo até o Estado do Maine, se prepara nesta segunda-feira, 26, para uma nevasca histórica, que os meteorologistas dizem que pode despejar até 90 centímetros de neve na região e prejudicar o transporte de dezenas de milhões de pessoas.

O Serviço Meteorológico Nacional (NWS, na sigla em inglês) emitiu um alerta de tempestade de neve para a parte norte da Costa Leste a partir da tarde desta segunda-feira, colocando os Estados de New Jersey até Indiana de sobreaviso e alerta para tempestades de inverno até terça-feira. Companhias aéreas cancelaram cerca de 5 mil voos.

"Esta pode ser a maior tempestade de neve na história desta cidade", disse o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, em entrevista na tarde de domingo.

De Blasio pediu aos moradores da capital financeira dos EUA e cidade mais populosa do país que fiquem fora das estradas e "se prepararem para algo pior do que já vimos até agora".

A maior precipitação registrada em Nova York ocorreu durante a tempestade de 11-12 fevereiro de 2006, com queda de 68 centímetros de neve, de acordo com o órgão municipal de gerenciamento de emergências.

O NWS qualificou o sistema que se aproxima como uma "nevasca incapacitante e possivelmente histórica", e assinalou que muitas áreas ao longo da Costa Leste deverão ficar cobertas por 30 a 60 centímetros de neve. A área de Nova York poderia ser a mais afetada, com fortes ventos e queda de neve de 76 centímetros ou mais em alguns subúrbios.

A Delta Air Lines anunciou no domingo que estava cancelando 600 voos por causa do alerta de nevasca para a Costa Leste. Já a United Airlines não liberará nenhum voo na terça-feira nos aeroportos de Nova York, Boston e Filadélfia, e vai limitar as operações a partir desta segunda-feira à noite nos aeroportos de Newark, LaGuardia e John F. Kennedy, na área de Nova York, disse uma porta-voz.

A Southwest Airlines informou no domingo à noite que iria cancelar mais de 130 dos 3.410 voos programados para esta segunda-feira devido à tempestade, um aumento em relação a seu plano anterior de cortar cerca de 20 voos.

A American Airlines ainda não havia finalizado os planos de cancelamento, mas disse esperar que "muito poucos" voos sejam afetados. De acordo com o site que rastreia voos no país Flightaware.com, desde domingo à noite, 1.792 voos haviam sido cancelados esta segunda-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAnevenevasca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.