Seth Wenig / AP
Seth Wenig / AP

Costa Leste dos EUA tem voos cancelados em razão de nevasca

Passageiros brasileiros também foram afetados por cancelamentos de companhias aéreas; escolas americanas não terão aula 

Mônica Reolom, O Estado de S. Paulo

26 de janeiro de 2015 | 17h41

Passageiros brasileiros com destino à Costa Leste dos Estados Unidos estão sendo afetados pela nevasca que atinge a região. As companhias aéreas que saem do Brasil com destino a Nova York cancelaram a maioria dos voos e pedem aos clientes que entrem nos sites para remarcar voos afetados. Os aeroportos afetados são o de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, e o do Galeão, no Rio.


A American Airlines cancelou os dois voos desta segunda-feira, 26, para o Aeroporto John F. Kennedy, principal aeroporto internacional de Nova York. Os passageiros foram contatados pela companhia para reacomodação.

A Delta Airlines, que tem apenas um voo diário entre o Cumbica e o JFK, cancelou o trecho de ida e o de volta. A empresa aconselha aos passageiros entrarem no site para acompanhar o status do voo e, se quiserem, podem remarcá-lo, sem custo, para outra data.

A TAM teve nove voos impactados pela nevasca, sendo sete cancelados. Há possibilidade de remarcação da data da viagem para os próximos 20 dias, sem custo.

A Gol viaja para Miami e para Orlando e, por isso, não foi afetada. A companhia informou que quem tiver problemas de conexão para destinos na Costa Leste será reacomodado.

Já a Copa Airlines explicou que suas operações não haviam sido afetadas até as 18 horas desta segunda-feira.

Nos EUA. Mais de 5 mil voos com partidas e chegadas em aeroportos da costa leste americana foram cancelados em razão da aproximação da nevasca que pode provocar a queda de até 90 centímetros de neve em toda a região.

A United Airlines cancelou todos os voos em Boston, Nova York e Filadélfia. A JetBlue, que tem a maioria dos voos na região nordeste americana, já cancelou cerca de um terço de toda a sua grade de voos.

Cerca de metade de todos os voos com partida do aeroporto La Guardia, em Nova York, foram cancelados nesta segunda e cerca de 60% dos voos com direção ao aeroporto também foram suspensos.

No total, as companhias aéreas cancelaram mais de 2.600 voos, segundo o site FlightAware, que acompanha a movimentação aérea. Mais de 2.900 voos foram suspensos para terça-feira.

Os problemas na região têm repercussão em todo o país. Em West Palm Beach, na Flórida, cerca de 30% de todos os voos foram cancelados. Em Fort Lauderdale e Orlando também foram registradas várias suspensões de voos.

Cidade. Nesta segunda, o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, afirmou que as ruas ficarão fechadas para o trânsito à partir das 23h da segunda-feira, à exceção de veículos de emergência. Escolas públicas também liberaram seus alunos.

O governador do Estado de Nova York, Andrew Cuomo, declarou estado de emergência para a cidade e o entorno. De acordo com Cuomo, a tempestade "não deve ser encarada com leveza" e "pode afetar a saúde e a segurança das pessoas".

O Serviço Nacional de Meteorologia prevê entre 60 centímetros e 90 centímetros de neve numa faixa de 400 quilômetros no nordeste, que incluem as áreas de Nova York e Boston. Filadélfia deve ter entre 355 milímetros e 460 milímetros de neve. /Com AP

Tudo o que sabemos sobre:
EUAnevascavoosBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.