CPI britânica critica, mas inocenta assessor de Blair

Alastair Campbell, diretor de comunicações do gabinete do primeiro-ministro britânico, Tony Blair, foi inocentado em uma Comissão Parlamentar de Inquérito que investigou a alegação de que o governo manipulou um dossiê sobre o Iraque. O relatório preparado por Campbell, entregue a Blair antes da ofensiva militar, teria sido um fator decisivo para que o premier adotasse a posição a favor da guerra. Uma reportagem feita pela BBC relatou as declarações de um alto funcionário do serviço de inteligência, de que o dossiê ficou mais "excitante" a pedido do governo. A Comissão de Inquérito do Comitê de Assuntos Estrangeiros disse que o relatório mostrou confiança excessiva em dados de inteligência obtidos dos Estados Unidos e de exilados e desertores iraquianos. O fato, por exemplo, de que esses exilados teriam seus próprios interesses em distorcer informações teria sido ignorado. O Comitê de Assuntos Estrangeiros disse ainda que deve continuar seus trabalhos de investigação nos próximos dois meses. Quanto à BBC, a comissão recomendou que a relação existente entre a empresa e os serviços de inteligência seja melhor investigada. A empresa rejeitou as críticas de Campbell à reportagem que sugeria que o gabinete do primeiro-ministro maquiou o dossiê. Em um comunicado, a BBC havia dito que não tinha nada sobre o que se desculpar e lamentou que Campbell tenha acusado o jornalista Andrew Gilligan, autor da reportagem, de ter mentido. As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

Agencia Estado,

07 Julho 2003 | 14h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.