Cresce dependência palestina de ajuda externa

Um relatório divulgado ontem pelo Banco Mundial estima que o governo do presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, precisa de, pelo menos, US$ 1,6 bilhão ao ano em ajuda internacional para acabar com o elevado déficit orçamentário da AP. O documento, preparado para a reunião do comitê de doadores internacionais em Nova York na segunda-feira, detalha como a economia palestina na Cisjordânia e na Faixa de Gaza deteriorou-se desde 2000, tornando-se profundamente dependente da ajuda estrangeira.O Banco Mundial afirma que 94% do auxílio internacional concedido à AP seria usado para cobrir despesas fixas - incluindo salários e empresas de serviços públicos -, deixando pouca verba para financiar o desenvolvimento da região. Segundo o relatório, se Israel não levantar as restrições sobre o território palestino, há poucas chances de uma melhora na situação econômica. Gaza sofre os efeitos mais intensos da crise desde que as facções Hamas e Fatah enfrentaram-se, em junho, fazendo com que as fronteiras fossem fechadas. A maioria das empresas locais - que dependem de produtos que vêm de fora - acumula pesados prejuízos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.