Cresce número de refugiados afegãos no Paquistão

Cresce todos os dias o número de refugiados do Afeganistão que cruzam a fronteira em direção ao Paquistão. Hoje, o Alto Comissariado da Nações Unidas para Refugiados (Acnur) anunciou que mais de 60 mil afegãos já haviam fugido do país desde que os ataques dos Estados Unidos começaram há duas semanas. Somente hoje, outras 3,5 mil pessoas deixaram a cidade de Kandahar depois dos fortes ataques que ocorreram durante a noite de quinta-feira e na manhã de hoje na cidade afegã. "As pessoas estão deixando suas casas em pânico e chegando ao Paquistão sem comida", afirmou o porta-voz do Acnur em Genebra. Ele classificou a situação de "caótica" e ressalta que, oficialmente, o governo de Islamabad ainda não autorizou a abertura de suas fronteiras para receber os refugiados. "Muitos pagam para que traficantes ajudem a transportá-los da região de Kandahar para a fronteira", disse o porta-voz. A informação da ONU é de que algumas pessoas chegam a dar US$ 50 para serem "transportados" para os países vizinhos. O valor, apesar de não ser alto em muitos países, representa o salário de dois meses de um afegão. Um das rotas do tráfico de refugiados descobertas pela ONU vai de Cabul a Jalalabad. "A partir desse ponto, os traficantes conduzem os refugiados pelas montanhas à pé, até que cheguem ilegalmente ao Paquistão", explicou o assessor da ONU. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.