Cresce rejeição a candidatos no Peru

Aproximadamente um em cada três peruanos prefere não votar nem no ganhador do primeiro turno eleitoral, Alejandro Toledo, nem em seu opositor, o ex-presidente Alan García, segundo pesquisas divulgadas nesta quarta-feira. "O voto nulo e em branco representa cerca de 35% das preferências", disse à Associated Press o especialista em opinião pública Manuel Torrado. "Toledo vem em primeiro lugar, depois vem o voto nulo e em seguida Alan García. É como se o voto nulo ou em branco fossem o segundo candidato favorito", disse Torrado, diretor da empresa de pesquisas Datum. Outra sondagem da Universidade de Lima, realizada entre domingo e segunda-feira, revelou que os dois candidatos, em lugar de ganharem adeptos, perderam popularidade e agora um número cada vez maior de eleitores demonstra a intenção de deixar em branco ou anular seu voto. Segundo o diretor do Departamento de Estatística da universidade, Luis Benavente, Toledo, que tem agora 34,7% de aceitação, há uma semana tinha 37,4%; e o mesmo ocrre com García que em poucos dias caiu de 27,2% para 23,6%. Nos dois casos, seus simpatizantes aderiram ao voto em branco ou nulo. O especialista não indicou se o fenômeno pode ser atribuído a uma campanha em favor do voto em branco ou nulo, iniciada há uma semana pelo popular jornalista Jaime Bayly e o ex-assessor de Toledo, Alvaro Vargas Llosa.Ambos os candidatos têm se acusado mutuamente de ter iniciado uma campanha de desprestígio - o que também envolve a imprensa local. Por sua vez, o Jurado Nacional de Eleições anunciou pela segunda vez a data "mais provável" da realização do segundo turno, que será em 3 de junho, segundo o presidente do organismo eleitoral, Manuel Sánchez-Palacios. A lei indica que o segundo turno deve realizar-se 30 dias após a divulgação dos resultados do primeiro, e Sánchez-Palacios prometeu que "até amanhã, o mais tardar", estes resultados deverão ser anunciados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.