Crescem especulações sobre enforcamento de Saddam

Uma autoridade iraquiana negou nesta sexta-feira que Saddam Hussein possa ser enforcado no próximo sábado. Por outro lado, advogados do ex-ditador dizem que ele está se preparando para ser morto. Em meio a inúmeras especulações sobre a data da execução, o Ministério da Justiça desmentiu um advogado que havia dito que Saddam fora transferido da custódia militar norte-americana para a do governo iraquiano."Não é da conta dos norte-americanos decidirem quando será o enforcamento", disse uma fonte do Ministério, contradizendo um funcionário norte-americano para quem a execução poderia acontecer a partir de sábado. Ele disse também que não haverá execução antes de 26 de janeiro, quando se completam 30 dias da confirmação da sentença. Esse foi o prazo concedido pela Justiça para o cumprimento da pena de morte imposta em novembro a Saddam, por um massacre de 148 xiitas em 1982.Ministros iraquianos dizem haver versões conflitantes no gabinete sobre a data e sobre a necessidade de uma autorização do presidente para a execução. Falando pela primeira vez sobre o tema, o primeiro-ministro Nouri Al-Maliki disse nesta sexta-feira que "não haverá atraso" nem recuo na execução. Um assessor disse que a declaração, citada pela TV pública, foi dirigida a parentes de vítimas do regime de Saddam.Nesta semana, várias autoridades salientaram que, ao contrário de outros delitos, o presidente não pode perdoar réus condenados à morte por crimes contra a humanidade. Maliki, que pertence à maioria xiita, oprimida pelo regime de Saddam, disse em novembro que esperava que o ex-ditador fosse enforcado ainda neste ano.Alguns sunitas acreditam que a execução pode agravar a tensão desse grupo com os xiitas. Alguns curdos também gostariam que Saddam chegasse a ser julgado e condenado por um genocídio contra essa etnia do norte do Iraque, um processo marcado para ser reiniciado em 8 de janeiro.Khalil Al-Dulaimi, que chefiou a defesa de Saddam até a sentença, em 5 de novembro, disse que os norte-americanos lhe procuraram pedindo para recolher os objetos pessoais de Saddam. Outro advogado de defesa de Saddam, um ex-ministro da Justiça do Catar, afirmou que isso era um forte indício de que a execução seria no sábado."Os norte-americanos chamaram a equipe de defesa para recolher seus objetos pessoais", disse Najib Naimi nesta sexta-feira à TV Al Jazeera em inglês. "Todas essas indicações mostram que ele provavelmente será executado amanhã".Na quinta-feira, Saddam pôde encontrar dois meio-irmãos, também detidos pelos EUA em uma base perto de Bagdá. Um advogado disse que o presidente estava com bom estado de ânimo.A exemplo do vice-ministro iraquiano da Justiça, Bosho Ibrahim, os militares norte-americanos também negaram que Saddam tenha sido transferido para a custódia do governo local, o que indicaria que a execução é iminente. Militares e diplomatas norte-americanos envolvidos no caso dizem que o sigilo é necessário por razões de segurança.Embora esteja juridicamente sob custódia iraquiana, Saddam é fisicamente vigiado por militares dos EUA. E, embora o enforcamento caiba aos iraquianos, os militares dos EUA devem ficar por perto para impedir que inimigos de Saddam transformem o fato num espetáculo público.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.