Crescente Vermelho entra no QG de Arafat

Um pequeno grupo de pacifistas ocidentais e oito veículos da organização humanitária Crescente Vermelho conseguiram entrar hoje no QG do líder palestino, Yasser Arafat, para levar água, comida, remédios e baterias para telefone celular, e atender os feridos. O grupo, formado pela francesa Claude Léostic, o líder antiglobalização francês José Bové, o deputado dos Partido Verde italiano Mauro Bulgarelli, um suíço e um americano, conversou por 20 minutos com Arafat. Adam Shapiro, um médico americano que passou a noite cercado dentro do complexo do QG do líder palestino, conseguiu sair do prédio hoje à tarde junto com os pacifistas. Um outro estrangeiro que estava com ele, Caoimhe Butterly, de Dublin, Irlanda, decidiu ficar. Shapiro, de 30 anos, natural de Nova York, passou a noite sentado no chão de uma das salas do prédio de três andares, disse Huweida Arraf, namorada do americano. O médico voluntário entrou no prédio sexta-feira à tarde com uma ambulância, para retirar os seguranças palestinos feridos. Segundo Huweida, as tropas impediram, na ocasião, que seu namorado deixasse o prédio. Shapiro, membro de um movimento internacional de solidariedade aos palestinos, vive na cidade cisjordaniana de Ramallah há três anos. As tropas israelenses ordenaram hoje a saída de todos os estrangeiros tanto da Cisjordânia como da Faixa de Gaza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.