Crescimento chinês pode recuperar a força no 2o semestre de 2009

A economia chinesa provavelmente vai se recuperar após um primeiro semestre de 2009 fraco, depois que os investimentos maciços do governo começarem a fazer efeito, afirma um conhecido economista em comentários publicados nesta quarta-feira.. Economistas esperam que o crescimento da China desacelere para abaixo de 8 por cento na primeira metade do próximo ano, ritmo que o governo tem como meta para criar empregos suficientes e, dessa forma, manter a estabilidade social. Li Yang, pesquisador da Academia Chinesa de Ciências Sociais, afirmou que conforme o pacote de estímulo do governo de 4 trilhões de iuans (586 bilhões de dólares) revitaliza os investimentos, principal condutor do crescimento econômico, a China será um dos primeiros países a ver o declínio dar meia volta. Segundo o China Securities Journal, Li não forneceu nenhuma estimativa detalhada. Outras autoridades repetidamente expressaram confiança de que o governo poderá sustentar um crescimento de 8 por cento no ano que vem. Liu He, uma autoridade sênior do Partido Comunista e vice-diretor do principal grupo central para Relações Financeiras e Econômicas, disse no início deste mês que a China verá sua economia recuperar a força logo no segundo trimestre de 2009.

REUTERS

24 de dezembro de 2008 | 09h30

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAECONOMIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.