Efe
Efe

Criança palestina ferida durante ataque israelense morre em Gaza

Sem contar morte do garoto de 8 anos, vítimas das hoslitidades com Israel chegam a 25

Efe,

14 de março de 2012 | 09h24

Atualizado às 14h20

 

GAZA - Uma criança palestina de sete anos morreu nesta quarta-feira, 14, em consequência dos ferimentos sofridos após ser acidentalmente atingido por disparos de militantes feito na direção de aviões israelenses no início da semana, informou o porta-voz do serviço de emergências na faixa, Adham Abu Salmiya.

Baraka al-Mughrabi estava em estado crítico desde o ataque. Outros três estudantes que seguiam para o colégio em Beit Lahiya, no norte de Gaza, também se feriram.

Sem contar a morte do garoto, são 25 o número de óbitos palestinos na onda de violência de quatro dias, período em que Israel bombardeou Gaza em quase 40 ocasiões e as milícias da faixa lançaram ao Estado judeu mais de 220 foguetes, sem causar mortos.

A escalada de tensão começou na sexta-feira com o assassinato seletivo por Israel do secretário-geral dos Comitês da Resistência Popular, Zuhair al Qaisi, com o argumento de que preparava um atentado a partir do Sinai, e acabou na madrugada de terça-feira para quarta-feira com acordo de trégua informal administrado pelo Egito.

Um dos artífices do pacto por parte israelense, o chefe da área de Política e Segurança do Ministério da Defesa, general Amos Gilad, ressaltou ao jornal "Haaretz" que o acordo é somente oral e se baseia em uma máxima "muito simples: calma em troca de calma".

Por outro lado, o chefe do Governo do Hamas em Gaza, Ismail Haniyeh, garantiu ontem, durante a recepção de um comboio egípcio de solidariedade, que o acordo inclui a cessação dos "assassinatos seletivos" israelenses na faixa.

A trégua devolveu uma relativa calma à região, apesar de já ter sido violado por ambas as partes: primeiro pelas milícias palestinas, com o lançamento de oito foguetes, e nesta manhã pela aviação militar israelense, que bombardeou dois pontos de Gaza sem causar danos pessoais.

Os "F-16" israelenses lançaram mísseis contra um armazém de madeira no oeste de Gaza capital, que incendiou, e outro contra uma plataforma de lançamento de foguetes.

Em comunicado, o Exército israelense afirma ter feito "alvo direto" contra "dois locais de atividade terrorista" no norte de Gaza "em resposta aos foguetes disparados contra Israel durante o dia anterior". 

 

Tudo o que sabemos sobre:
GazapalestinoIsraelataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.