Crianças mortas por brinquedo-bomba no Paquistão vão a 13

Crianças, com idades entre quatro e 12 anos, começaram a brincar com a bomba até que ela explodiu

EFE

26 de abril de 2009 | 04h56

O número de crianças mortas pela explosão de um brinquedo-bomba no conflituoso noroeste do Paquistão aumentou neste domingo para 13, com a morte de dois meninos no hospital, informaram diferentes meios de imprensa do país.

 

O episódio de violência aconteceu no povoado de Luqman Banda, no distrito de Dir, dentro da Província da Fronteira do Noroeste (NWFP), quando as crianças viram uma bomba com aspecto de brinquedo em uma área próxima a uma delegacia e a uma escola primária. As crianças, com idades entre quatro e 12 anos, começaram a brincar com a bomba até que ela explodiu.

 

Os feridos foram levados a um hospital da região, e tanto o presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, como o primeiro-ministro, Yousuf Raza Gillani, condenaram o sucedido e ordenaram uma investigação. Na região em que o artefato foi detonado também aconteceram vários sequestros recentemente.

 

No sábado, alguns helicópteros das forças de segurança sobrevoaram o distrito de Dir, onde dois novos postos de controle foram montados depois que membros da insurgência taleban do vizinho Vale do Swat entraram na região nos últimos dias, informou a imprensa paquistanesa.

Tudo o que sabemos sobre:
TALEBANPAQUISTÃOTERRORISMO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.