Crianças são vítimas indiretas da lei antidroga de NY

A legislação antidroga do Estado de Nova York, considerada por muitos excessivamente rigorosa, priva cerca de 124.000 crianças da presença de seus pais, que estão em prisões, denunciou nesta terça-feira um relatório da organização Human Rights Watch (HRW).O diretor do programa americano da HRW, Jamie Fellner, disse que "os filhos dos transgressores encarcerados pela lei antidroga são uma das vítimas indiretas da guerra do Estado contra as drogas"."Sentenças desproporcionalmente duras não apenas conduziram à prisão desnecessária de dezenas de milhares de dependentes de drogas e narcotraficantes de pequeno calibre, mas também privaram milhares de crianças de seus pais", afirmou Fellner.Em seu informe, a HRW reconhece que o governo e a assembléia legislativa do Estado de Nova York estão trabalhando para modificar a chamada Lei Rockefeller, que nos anos 80 endureceu as penas para o comércio e o consumo de drogas."Para muitos dos delinqüentes de droga de baixo calibre, não violentos, existem alternativas à pena de prisão que incluem trabalhos comunitários e programas de tratamento", disse Fellner.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.