Crimes de ódio crescem 28% na Áustria, afirma governo

Autoridades austríacas informaram nesta terça-feira que os crimes de ódio, cometidos geralmente por neonazistas e militantes da extrema direita, cresceram 28% no ano passado. Em relatório sobre a criminalidade no ano passado, o Ministério do Interior informou que em 2010 ocorreram 580 crimes de ódio no país, quase todos praticados por pessoas da extrema direita, incluídos "atos xenófobos, racistas, islamofóbicos e antissemitas". O relatório informa que em 2009 foram cometidos 453 desses crimes na Áustria.

AE, Agência Estado

27 Setembro 2011 | 17h41

O Ministério afirma que 48,6% desses crimes foram investigados com sucesso, em comparação a 44,2% em 2009. A islamofobia está em crescimento na Áustria, bem como um sentimento contra o Islã que se espalhou entre parte dos austríacos. O Partido da Liberdade, da extrema direita, inclui partidários nazistas e explora o sentimento contra o Islã para ganhar popularidade.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.