REUTERS/Denis Balibouse/File photo
REUTERS/Denis Balibouse/File photo

Crise com a Coreia do Norte é 'a mais grave', diz secretário-geral da ONU

Antonio Guterres se disse 'muito preocupado' com a situação e afirma que é preciso preservar a unidade do Conselho de Segurança

O Estado de S.Paulo

09 Setembro 2017 | 21h50

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Antonio Guterres, disse neste sábado, 9, que a crise com a Coreia do Norte é "a mais grave com a qual já tivemos de lidar em anos". "O tema central é, sem dúvida, conseguir que a Coreia do Norte cesse o programa nuclear e balístico e repeite as resoluções votadas pelo Conselho de Segurança", acrecentou o ex-primeiro-ministro português em entrevista ao jornal francês Le Journal du dimanche.

Guterres disse, porém, que é preciso preservar, "a qualquer preço", a unidade do Conselho de Segurança, já que se trata do único instrumento que pode conduzir uma iniciativa diplomática que tenha possibilidade de êxito. Além de encarar a situação como a mais séria, ele afirmou que está "muito preocupado".

Os Estados Unidos pediram que o conselho da ONU vote na próxima segunda-feira, 11, novas sanções contra a Coreia do Norte, apesar da possível oposição de China e Rússia. O projeto de resolução prevê um embargo sobre o petróleo, proibir a importação têxtil norte-coreana, além de congelar os bens do líder Kim Jong-Un, expulsar cidadãos norte-coreanos que vivem no estrangeiro e inspecionar navios suspeitos em alto mar.

Rússia e China se opuseram às medidas - exceto pela questão têxtil - durante uma reunião com especialistas dos 15 membros do Conselho de Segurança, segundo fontes diplomáticas. No entanto, Pequim e Moscou respaldam, junto com o restante do conselho, adotar novas sanções para reprovar o último teste nuclear norte-coreano realizado no começo deste mês. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.