DIDA SAMPAIO/ESTADAO
DIDA SAMPAIO/ESTADAO

Crise coreana está fora do alcance do Brasil, diz chanceler

Segundo Aloysio Nunes, o comércio e as relações diplomáticas entre os dois países é de perfil baixo

Lu Aiko Otta / Brasília, O Estado de S.Paulo

10 Agosto 2017 | 05h00

A crise na Coreia do Norte causa preocupação, mas há pouco o que o Brasil possa fazer, disse o chanceler Aloysio Nunes. “Não temos meios diplomáticos para atuar sobre a Coreia do Norte.”

As relações diplomáticas entre os dois países são de perfil baixo. O Brasil tem no país um encarregado de negócios, e vice-versa. 

 O comércio bilateral é bastante restrito. De janeiro a julho, foram exportados para a Coreia do Norte US$ 302,5 mil em mercadorias.

O item mais vendido foi pasta química de madeira. Com isso, a Coreia do Norte tem um grande superávit comercial com o Brasil, pois exporta US$ 2,3 milhões.

As compras foram lideradas pelo diisocianato de tolueno, usado na fabricação de espumas de poliuretano. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.