Crise derruba gabinete do governo boliviano

Os violentos choques da semana passada, quando morreram pelo menos 30 pessoas e outras 150 ficaram feridas, provocaram a queda do gabinete do presidente da Bolívia, Gonzalo Sánchez de Lozada. A renúncia coletiva de 18 ministros foi anunciada hoje cedo pelo ministro de Relações Exteriores, Carlos Saavedra, que deverá permanecer no cargo. No decorrer da tarde, o presidente Sánchez de Lozada deve indicar o nome de sua nova equipe ministerial. De acordo com sites de jornais bolivianos, Saavedra informou também que o número de ministérios será reduzido, com extinções e fusões de pastas. O Ministério de Justiça, por exemplo, será transformado em um secretaria ligada diretamente à presidência. Já o Ministério de Comércio Exterior será transferida para a Chancelaria e o de Assuntos Campesinos, para o da Agricultura. Até ontem à noite, o governo analisava a possibilidade de transformar em ministério a secretaria de Turismo, com o objetivo de ampliar e incentivar essa atividade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.