Crise financeira domina debate na TV

Em pesquisa da CNN, Obama foi melhor que McCain para 54% dos entrevistados; CBS também lhe dá a vitória

Patrícia Campos Mello, WASHINGTON, O Estadao de S.Paulo

08 de outubro de 2008 | 00h00

A um mês da eleição americana, a crise econômica foi o assunto dominante do segundo debate presidencial. O democrata Barack Obama voltou a acusar o governo de George W. Bush e o republicano John McCain pela grave desaceleração que atinge os EUA. Já o republicano afirmou que Obama aumentará impostos e agravará a crise. No meio do debate, McCain lançou uma proposta para o governo federal comprar e refinanciar hipotecas de mutuários que estão prestes a perder suas casas, embora não tenha detalhado o plano.De acordo com pesquisas realizadas logo após o debate, Obama saiu-se melhor que McCain. Pela sondagem da rede CBS, o democrata venceu o debate para 39% dos eleitores. McCain foi superior para 27% dos entrevistados - 35% disseram que houve empate. A CNN também divulgou pesquisa mostrando vantagem para Obama no debate de ontem. Ele venceu para 54% dos entrevistados, enquanto McCain foi o melhor para 30% dos americanos. Segundo a mesma sondagem, a maioria dos entrevistados afirmou que Obama é o candidato mais indicado para lidar com a crise.McCain, que está atrás nas pesquisas e tem de lutar até em Estados tradicionalmente republicanos, como Carolina do Norte, Virgínia e Flórida, precisava vencer o debate para virar o jogo. Obama, porém, foi muito mais articulado ao responder as perguntas, com detalhes específicos de seus programas econômicos. O democrata tem-se saído melhor durante a crise do sistema financeiro e ontem McCain não conseguiu mudar o foco do debate nem ganhar pontos com a economia. O republicano tentou disfarçar seu aparente desprezo por Obama - no último debate, ele nem sequer olhou para o rival. Apesar de estar mais sorridente dessa vez, McCain e cometeu um pequeno deslize ao dirigir-se a Obama como "aquele lá". "Você sabe quem votou a favor da lei de energia cheia de verbas para projetos inúteis?" , perguntou McCain. "Aquele lá", disse, apontando para Obama. O debate na Universidade Belmont, em Nashville, Tennessee, durou uma hora e meia. O formato permitia que os eleitores fizessem perguntas para os candidatos, mas não impediu que os dois trocassem acusações. "Não podemos continuar tomando dinheiro emprestado dos chineses para mandá-lo para a Arábia Saudita. Estamos hipotecando o futuro de nossos filhos", afirmou Obama.McCain atacou o histórico do adversário no Senado. "O senador Obama votou mais de 90 vezes para aumentar impostos dos americanos", disse o republicano, que também defendeu a construção de mais usinas nucleares como alternativa energética. "Meu adversário se opõe à energia nuclear."Obama defendeu-se. "Não me oponho à energia nuclear. Eu só acho que ela é apenas uma das alternativas", respondeu. "O que McCain não disse é por que ele votou mais de 100 vezes no Senado contra a promoção de energias alternativas."O democrata afirmou que assistência à saúde é um direito das pessoas e citou o exemplo da mãe, que morreu de câncer. "Minha mãe, que morreu de câncer aos 53 anos, passou seus últimos dias no hospital discutindo com as seguradoras que não queriam cobrir, que diziam que ela tinha condição pré-existente", disse Obama, em um momento considerado um dos pontos altos por analistas.Em outro momento positivo para o senador democrata, ele foi perguntado sobre os sacrifícios que iria pedir ao povo americano. "Na política energética, será necessário que cada um de nós façamos sacrifício de economizar energia."Além de lançar o plano de compra das hipotecas em atraso dos mutuários, o republicano criticou Obama por ter votado a favor de US$ 800 milhões em gastos inúteis, inclusive "US$ 3 milhões para um projetor para o planetário de Chicago." O republicano também deu pistas sobre quem escolheria para substituir Hank Paulson na secretaria do Tesouro. "Warren Buffett, que apóia o senador Obama", disse, citando também Meg Whitman, uma das conselheiras da campanha de McCain e ex-CEO do site de leilões eBay. OUTRAS FARPASMcCain acusa Obama de... ser amigo de terroristas, por sua ligação com Bill Ayers, líder nos anos 60 de um grupo que lançou bombas em prédio públicos ser radical, por causa de seu polêmico ex-pastorJeremiah WrightObama acusa McCain de...estar envolvido no caso ?Os Cincos de Keating?, escândalo financeiro do fim dos anos 80ser despreparado para lidar com crises financeiras, como a atualFRASESBarack Obama Candidato democrata"O senador McCain diz que eu não entendo as coisas. E é verdade, há coisas que não entendo. Não entendo, por exemplo, como invadimos um país que nada tinha a ver com o 11 de Setembro""Não podemos dar milhões de dólares a um ditador (Pervez Musharraf, do Paquistão), que faz pactos com o Taleban. Minha prioridade de segurança nacional será matar Osama bin Laden"John McCainCandidato republicano"É algo caro, mas até que solucionemos esse problema não poderemos fazer o emprego crescer" (Ao propor a compra de hipotecas em atraso e a renegociação de dívidas para permitir que os devedores continuassem em suas casas)"Já dizíamos três anos atrás que tínhamos de regular isso (a concessão de empréstimos imobiliários), mas Obama resistiu"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.