Crise mergulha mais italianos na pobreza, diz a Caritas

A organização Caritas, da Igreja Católica Romana, informou nesta quarta-feira que a crise econômica mergulhou mais italianos na pobreza e que a quantidade de italianos que buscaram auxílio na entidade para se alimentar ou para procurar emprego subiu no primeiro semestre de 2012 a 33,3% do total de atendidos - das 2.832 pessoas entrevistadas. A pesquisa indica que 66,7% dos atendidos pela Caritas nas paróquias são imigrantes estrangeiros, mas o número de italianos que buscaram auxílio aumentou "exponencialmente" principalmente nas regiões do sul, que sempre foram mais pobres. No sul da Itália, metade das pessoas que buscam a Caritas são italianos.

AE, Agência Estado

17 de outubro de 2012 | 19h13

O diretor da Caritas Itália, Francesco Soddu, disse que a crise financeira que atinge o país e a zona do euro está fortalecendo a pobreza tradicional, uma vez que cria "uma nova pobreza". O relatório indica que o número de donas de casa e aposentados que buscam a ajuda da Igreja cresceu 177% e 65,6%, respectivamente, no primeiro semestre deste ano. Em 2009, apenas 15,2% das pessoas que buscaram ajuda na Caritas eram italianos, mas em 2011 já eram 28,9% do total.

As informações são da Associated Press e da agência Ansa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.