Crise na Ucrânia pode levar Europa à estagnação

Um aprofundamento da crise na Ucrânia poderia interromper o processo de recuperação da economia europeia em 2015, segundo o professor especialista em conjuntura econômica internacional da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP), Paulo Feldmann.

FRANCINE DE LORENZO, Agência Estado

23 de julho de 2014 | 16h21

Para ele, esse risco existe, mas é baixo. "Uma crise de maiores proporções na Ucrânia afetaria o fornecimento de gás natural à Europa. Isso poderia fazer com que o crescimento econômico europeu, estimado em cerca de 1,5% no próximo ano, recuasse a zero", disse Feldmann ao Broadcast. "Creio que haverá sensatez entre as parte envolvidas para evitar que isso aconteça."

Em sua avaliação, os presidentes Vladimir Putin (Rússia) e Barack Obama (EUA), além das autoridades europeias, manterão o diálogo e encontrarão um meio de apaziguar a situação. "Mesmo com as sanções à Rússia, não creio que a crise se intensificará. Isso seria pior para todas as partes. Putin está tentando se mostrar um grande estadista e um aprofundamento desse conflito só prejudicaria sua imagem", conclui Feldmann.

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaRússiaconflito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.