Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Crise nuclear iraniana aproxima China e EUA

O ministro de Relações Exteriores da China, Li Zhaoxing, analisou a crise nuclear iraniana numa conversa por telefone com a secretária de Estado dos Estados Unidos, Condoleezza Rice, segundo um comunicado do Ministério divulgado nesta quinta-feira pela agência estatal de notícias Xinhua.Foi a Segunda conversa entre os dois em menos de uma semana. Os dois países se aproximam, acertando suas posições para a reunião desta quinta, em Viena, com os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (China, EUA, França, Rússia e Reino Unido) e a Alemanha."O tema principal da conversa foi como tratar adequadamente o caso iraniano pelos meios diplomáticos", segundo o comunicado. Rice provavelmente explicou a Li a disposição dos EUA de participar de um diálogo multilateral com o Irã, condicionado à suspensão das atividades iranianas de enriquecimento de urânio.China e Rússia receberam a iniciativa como um passo para uma resolução pacífica da crise. O porta-voz da Chancelaria chinesa, Liu Jianchao, lembrou esta semana que "como membro do Tratado de Não-Proliferação Nuclear, o Irã tem direito ao uso pacífico da energia atômica. Mas também deverá cumprir suas responsabilidades e compromissos".China e Rússia se opõem a impor sanções ao Irã. Mas, recentemente, os chineses pediram que o governo iraniano avance no processo. "O Irã deve cooperar com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e voltar a ganhar a confiança internacional sobre seu programa nuclear", disse Liu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.