Crise política não faz Morales abandonar agenda no exterior

Em meio a uma das mais sérias crises políticas enfrentadas pelo governo boliviano, o presidente Evo Morales pretende iniciar, no domingo, uma agenda de visitas internacionais. De acordo com a agência de notícias Reuters, o presidente pretende visitar a Holanda, Nigéria e Cuba, apesar de não contar com a autorização da oposição. Durante a excursão internacional, o governo boliviano espera conseguir cooperação econômica e recursos para o setor agropecuário. Para viajar, Evo precisa da autorização do Congresso. Mas, nesta quinta-feira, os congressistas resolveram boicotar o presidente porque reclamam do partido governista, Movimiento Al Socialismo (MAS), que faz pressão para que dois terços dos votos do legislativo ajudem a aprovar a nova constituição, patrocinada por Morales. "Não houve quórum regulamentar, mas ainda assim o presidente Morales cumprirá sua agenda de viagens, embora voltará da África para só depois ir a Cuba, porque (segundo a constituição) não pode ficar ausente do país por mais de cinco dias", explicou o vice-presidente, Alvaro García Linera.

Agencia Estado,

24 Novembro 2006 | 02h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.