Crise preocupa o Conselho de Segurança da ONU

O conflito entre as forças do governo de Mali contra os grupos rebeldes ligados a Al-Qaeda, que controlam o norte do território malinês, tem dominado a agenda do Conselho de Segurança da ONU nas últimas semanas e o órgão aprovou uma declaração por unanimidade expressando "grave preocupação" com a deterioração do cenário.

O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2013 | 02h05

"Essa séria deterioração da situação prejudica ainda mais a estabilidade e a integridade do Mali e constitui uma ameaça para a paz e a segurança internacional", disse o comunicado do Conselho de Segurança, ao analisar a questão em caráter emergencial na noite de quinta-feira depois do avanço dos rebeldes em direção à cidade de Konna.

No mês passado, o conselho havia aprovado uma resolução para o envio de 3,3 mil soldados da Comunidade Econômica do Oeste Africano (Ecowas, na sigla em inglês). A medida, na avaliação de diplomatas, parecia ser insuficiente, abrindo as portas para uma intervenção francesa.

Diferentemente do que ocorre em relação à guerra civil na Síria, a Rússia e a China não colocam obstáculos para que as forças ocidentais - ou mesmo as africanas - intervenham no Mali para lutar ao lado do governo contra as forças fundamentalistas islâmicas. / GUSTAVO CHACRA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.