AP
AP

Cristã condenada à morte por blasfêmia deixa Paquistão mais de seis meses após ser absolvida

Segundo o advogado de Asia Bibi, ela está no Canadá, país para o qual as filhas dela fugiram há vários meses

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de maio de 2019 | 08h41

ISLAMABAD - A cristã Asia Bibi deixou o Paquistão mais de seis meses depois de ser absolvida de uma condenação à pena de morte por blasfêmia, caso que provocou indignação no exterior, segundo uma fonte do governo. "Asia Bibi deixou o Paquistão por vontade própria", disse a fonte, que pediu anonimato.

O advogado da cristã, Saif Ul Mulook, afirmou que não falou diretamente com a cliente, mas que após uma conversa com suas "próprias fontes" deduziu que ela está no Canadá, país para o qual as filhas dela fugiram há vários meses.

As autoridades paquistanesas ainda não se pronunciaram sobre o destino de Asia ou sobre as condições de sua saída.

Ela foi condenada à morte por blasfêmia em 2010 depois que duas muçulmanas com as quais trabalhava a acusaram de ter "insultado o profeta" após uma discussão sobre um copo de água.

O caso se tornou um símbolo dos desvios da lei sobre a blasfêmia no Paquistão, onde os críticos afirmam que o texto é utilizado para solucionar conflitos pessoais mediante acusações falsas.

O Tribunal Supremo, principal instância judicial do país, a absolveu em outubro de 2018. Asia passou oito anos no corredor da morte.

A sentença provocou atos violentos em várias cidades paquistanesas. Em janeiro, o mesmo tribunal reafirmou sua decisão e rejeitou qualquer recurso contra a absolvição. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.