Cristão é morto no Egito, dizem fontes

Um cristão foi morto a tiros e pelo menos cinco outros ficaram feridos na terça-feira num trem no Egito, segundo fontes hospitalares e de segurança, menos de duas semanas depois do ataque a bomba contra uma igreja, no mais violento incidente sectário no país em vários anos.

REUTERS

11 de janeiro de 2011 | 17h12

Não está imediatamente claro se os tiros foram motivados por questões religiosas no Egito, um país de maioria islâmica, onde os cristãos constituem 10 por cento dos 79 milhões de habitantes.

Depois do atentado de 1o de janeiro, que matou 23 pessoas em Alexandria, os cristãos protestaram contra a suposta incapacidade do governo para protegê-los.

A agência estatal de notícias do Egito disse que uma pessoa morreu e cinco ficaram feridas por "disparos aleatórios" num trem que ia do Cairo a Assiut, no sul do Egito. A nota não informava se os mortos e feridos eram cristãos.

Mariam Salah, médica na localidade de Minya, disse que seu hospital recebeu cinco cristãos feridos, e que um deles relatou que uma sexta pessoa havia sido morta. Uma fonte de segurança confirmou que há um morto.

(Reportagem de Yasmine Saleh e Mohamed Abdellah)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOCRISTAOMORTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.