Cristãos egípcios protestam após mortes em ataques

Cristãos coptas realizam hoje um protesto na capital do Egito, após ataques contra duas igrejas nos quais 12 pessoas morreram, informa a BBC em seu site. Os manifestantes se reúnem perto do prédio da televisão estatal, acusando o Exército de não protegê-los.

AE, Agência Estado

09 de maio de 2011 | 11h34

Mais de 180 pessoas ficaram feridas no sábado, após muçulmanos atacarem uma igreja cristã copta no Cairo. Os cristãos dizem temer a criação de um Estado islâmico. A violência sectária ocorre no momento em que o país trabalha para avançar rumo à democracia, após a queda do presidente Hosni Mubarak, em 11 de fevereiro.

Uma fonte do setor de segurança disse que autoridades prenderam 23 pessoas ligadas aos recentes conflitos entre muçulmanos e cristãos. Entre elas há dois suspeitos de envolvimento nos confrontos do fim de semana. Com essas prisões, passou de 200 o número de pessoas detidas pela violência sectária no Egito nos últimos dias. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.