Cristina chega a Cuba para visitar Chávez

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, chegou a Cuba nesta sexta-feira para fazer uma visita ao presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que está internado em um hospital de Havana desde 11 de dezembro do ano passado. Logo após chegar a Havana no começo da manhã, Cristina foi levada ao Hotel Nacional de Cuba, onde foi recebida por turistas argentinos que deram às boas vindas a presidente com cartazes, nos quais estava escrito "Néstor (Kirchner) vive. Força CFK", em alusão ao falecido marido da presidente, Néstor Kirchner.

AE, Agência Estado

11 de janeiro de 2013 | 14h57

Cristina não estava acompanhada por nenhum funcionário do governo cubano no hotel e as autoridades insistiram que se tratava de uma visita privada. Segundo a imprensa cubana, o chanceler Bruno Rodríguez recebeu Cristina no aeroporto de Havana. A presidente argentina, após tentar visitar Chávez, viajará à Ásia. A hora do possível encontro dos dois presidentes não foi informada.

Na noite de quinta-feira, o chanceler argentino Héctor Timerman anunciou em Caracas que Cristina estava a caminho de Havana para "estar nesta manhã junto ao companheiro Hugo Chávez e lhe expressar toda a nossa solidariedade e carinho".

Chávez sofreu a quarta cirurgia contra o câncer em 11 de dezembro, após reconhecer publicamente que a enfermidade havia voltado. Desde então, sua situação de saúde permanece um segredo. O governo venezuelano reconheceu que o líder de 58 anos sofreu uma infecção respiratória após a cirurgia e disse nesta semana que o estado de saúde do bolivariano é "estacionário". Poucas pessoas têm acesso a Chávez, internado em um hospital da capital de Cuba, com exceção da família do político. O vice-presidente venezuelano Nicolás Maduro viajou recentemente a Cuba para ver Chávez.

O presidente do Equador, Rafael Correa, visitou Chávez recentemente, bem como o presidente da Bolívia, Evo Morales. O presidente do Uruguai, José Mujica, manifestou a intenção de visitá-lo, bem como o presidente do Peru, Ollanta Humala.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.