CRISTINA COMPRA BRIGA COM ESTRELA DE CINEMA

Pela internet, presidente bate boca com ator argentino Ricardo Darín

ARIEL PALACIOS, CORRESPONDENTE, BUENOS AIRES, O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2013 | 02h02

Nos últimos anos, a presidente Cristina Kirchner brigou com ruralistas, petrolíferas, FMI, credores internacionais, meios de comunicação, cartunistas e juízes federais. Agora, ela entrou em pé de guerra com o ator Ricardo Darín, que declarou em entrevista que gostaria de ter "explicações" sobre a fortuna da presidente.

Desde 2003, a fortuna de Cristina e de seu marido, o ex-presidente Néstor Kirchner, que morreu em outubro de 2010, aumentou de US$ 1,47 milhão para US$ 18,8 milhões. Os bens do casal são imóveis e aplicações financeiras. Darín, além de criticar o patrimônio dos Kirchners, também afirmou que o kirchnerismo estava "a caminho do fanatismo". "Preocupa-me essa coisa de ter de ser de um lado ou de outro e não ter o direito de ter uma posição diferente." O ator também se referiu a uma "caça às bruxas" na Argentina, além de destacar que o país era como um menino que "sempre espera um pai que lhe diga como deve fazer as coisas".

Irritada, a presidente respondeu a Darín pelo Facebook em uma longa carta na qual, com ironias, sugere que ela já prestou explicações à Justiça sobre seu patrimônio. Além disso, Cristina, que se declara uma "cinéfila total", destaca que o ator "talvez não esteja por dentro da realidade" da Argentina em razão de suas "atividades artísticas".

Ela citou que o ator havia sido acusado de contrabando de carros há 20 anos (um processo do qual Darín foi absolvido) e aproveitou para criticar novamente a oposição e os juízes federais.

Darín declarou que não pretende aprofundar o debate em público e gostaria de ter uma "conversa a sós" com Cristina.

"Foi uma resposta tão barroca que ainda continuamos sem uma resposta sobre a pergunta feita por Darín", afirmou o ex-promotor federal e atual deputado da oposição Manuel Garrido.

O filme protagonizado por Darín, O segredo dos seus Olhos, ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro em 2009. O ator viveu o papel de um membro da Justiça pressionado pelo comando da extrema direita do governo de Isabelita Perón. No dia 17, estreia seu novo filme, Tese sobre um Homicídio. No Twitter, um dos trending topics de ontem foi a hashtag #TodosConDarín, em apoio ao ator e contra os ataques de Cristina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.