Eitan ABRAMOVICH / AFP
Eitan ABRAMOVICH / AFP

Cristina Kirchner e filhos serão julgados por corrupção

Eles são acusados de terem usado uma empresa da família para lavar dinheiro

O Estado de S.Paulo

03 Outubro 2018 | 20h26

BUENOS AIRES - A ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner e seus filhos, Máximo e Florencia, serão julgados por corrupção por terem usado um empresa da família para lavar dinheiro. A decisão foi anunciada nesta quarta-feira pelo juiz Julián Ercolini, que determinou que outras 20 pessoas também sejam julgadas, entre elas o empresário Lázaro Báez, que está em prisão preventiva desde 2016.

A empresa Los Sauces, fundada em 2006 por Cristina, Máximo e pelo ex-presidente Néstor Kichner, administra bens imobiliários da família e é investigada por lavar dinheiro obtido em transações com empresários ligados ao kirchnerismo. Por meio da Los Sauces, Cristina teria adquirido uma série de propriedades e hotéis na Província de Santa Cruz e na cidade de Buenos Aires, segundo o juiz. 

Máximo, de 41 anos, atualmente deputado, é acusado de ser o organizador do esquema. Florencia, por sua vez, será julgada por associação ilícita. Além disso, também foram acusados os empresários Cristóbal López e Fabián de Sousa e uma sobrinha da ex-presidente, Romina Mercado. 

Cristina responde a seis processos na Justiça – a maioria por corrupção – e será julgada por quatro deles. O único que já tem data marcada começará em 26 fevereiro, por formação de quadrilha e fraude na concessão de obras públicas quando era presidente. / EFE 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.