Cristina Kirchner promete ajuda a reféns das Farc

Em discurso de posse, presidente argentina pede que colombiano encontre saída para impasse com as Farc

REUTERS

10 de dezembro de 2007 | 18h30

Em seu primeiro discurso no cargo, a nova presidente argentina, Cristina Kirchner, juntou-se nesta segunda-feira, 10, à campanha internacional pela libertação dos reféns da guerrilha colombiana Farc. E deu um recado com endereço certo: o presidente da Colômbia, Alvaro Uribe. Veja TambémApós encontro com Uribe, Lula discute Farc com premiê francêsLula oferece ajuda em negociação da ColômbiaCristina Kirchner toma posse como presidente da Argentina "Quero comprometer o esforço da nossa diplomacia, o esforço do nosso país e também solicitar a Deus que ilumine ao senhor presidente da irmã e querida República da Colômbia para poder encontrar uma solução", disse Cristina no seu discurso de posse.  Presidentes sul-americanos presentes em Buenos Aires mantiveram nas últimas horas reuniões para tentar acelerar um acordo humanitário que permita uma troca de presos entre o governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).  O presidente venezuelano, Hugo Chávez, que havia sido designado mediador pelo seu colega colombiano foi afastado dessa função devido a um atrito diplomático.  "Sem que isso signifique nos imiscuir de qualquer modo em questões internas de outro país, acho que o direito humanitário internacional merece que ponhamos todo o esforço, toda a vontade possível para não chegarmos tarde demais", afirmou Cristina.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaFarcCristina Kirchner

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.