Cristina mantém popularidade

A onda de escândalos de corrupção que envolve o governo Kirchner não afetou a imagem da candidata do governo à presidência, a primeira-dama Cristina Fernández de Kirchner, que mantém as intenções de voto para as eleições de outubro acima de 40%. De acordo com uma pesquisa realizada pela consultoria OPSM, 35% dos entrevistados consideram que a imagem do presidente Néstor Kirchner piorou após o escândalo da mala. No entanto, quando indagados sobre eventuais alterações de voto nas eleições de outubro, apenas 16,6% disseram que mudarão de candidato. A pesquisa mostrou ainda que 42,9% dos entrevistados consideram que a administração Kirchner é tão corrupta quanto os outros governos que a antecederam. Outros 14,6% afirmam que ela é mais corrupta. Para 30,2%, o governo é menos corrupto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.