Cristina reforça prazo para Lei de Mídia ser seguida

O governo da presidente Cristina Kirchner disse ontem que todos os meios de comunicação eletrônicos terão de vender a maior parte de seus canais de TV e estações de rádio até 7 de dezembro, como forma de adequação à Lei de Mídia, que limita a atuação e o tamanho das empresas do setor. A Casa Rosada não citou textualmente o Grupo Clarín, embora nos últimos dias a presidente e seus ministros tenham dito que a data marcará "o fim das calúnias do Clarín".

ARIEL PALACIOS, CORRESPONDENTE / BUENOS AIRES , O Estado de S.Paulo

02 de outubro de 2012 | 03h06

Durante discurso, Cristina anunciou o deputado Martín Sabatella para o cargo de diretor da Autoridade Federal do Serviço de Comunicação (Afsca), organismo encarregado da aplicação da Lei de Mídia. Sabatella afirmou que, no amanhecer do dia 8, todas as empresas terão de estar de acordo com a lei.

Enquanto duela com a imprensa, Cristina perde popularidade. Uma pesquisa da consultoria Management & Fit indicou que a aprovação da presidente caiu de 52,3%, em fevereiro, para 30,6%, em setembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.