Cristina sanciona casamento gay na Argentina

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, promulgou nesta quarta-feira a lei que aprova o casamento entre pessoas do mesmo sexo, aprovada há uma semana pelo Congresso. "Hoje somos uma sociedade um pouco mais igualitária que na semana passada", disse Cristina em um ato oficial realizado na Casa Rosada.

AE-AP, Agência Estado

21 de julho de 2010 | 21h02

Representantes de diversas organizações de gays e lésbicas celebraram a promulgação, entoando "igualdade, igualdade" e entregaram à presidente placas de reconhecimento por seu apoio à iniciativa.

A "Lei de Matrimônio Igualitário", pela qual o código civil do país foi reformado, foi sancionada pelo Senado na madrugada de 15 de julho, após mais de 15 horas de debate. Deste modo, a Argentina se converteu no primeiro país da América Latina que concede todos os direitos legais aos homossexuais, como a possibilidade de herdar bens e adotar crianças conjuntamente.

Em escala local, a Cidade do México foi precursora, legalizando o casamento gay há dois meses. A primeira união civil entre pessoas do mesmo sexo em Buenos Aires está prevista para 13 de agosto. A Igreja do país rechaçou a nova legislação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.