Cristina se recupera bem da cirurgia, afirma porta-voz

A presidente argentina, Cristina Kirchner, se recupera favoravelmente da cirurgia para drenagem de um hematoma na cabeça, na última terça-feira (8), segundo informou o porta-voz da Presidência, Alfredo Scoccimarro. "A presidente está se recuperando muito bem. Tomou café da manhã. E, há pouco, almoçou verduras cozidas ao vapor", indicou ele sobre o terceiro boletim médico após a cirurgia, divulgado a pouco.

MARINA GUIMARÃES, CORRESPONDENTE, Agência Estado

10 de outubro de 2013 | 15h09

"A presidente manda um beijo a todos os argentinos", repetiu Scoccimarro, em meio aos aplausos de alguns seguidores de Cristina Kirchner que mantêm vigília em frente ao hospital, onde foi montado uma espécie de santuário com inúmeros cartazes de alento à presidente. A nota dos médicos distribuída após a declaração do porta-voz informou que Cristina continua internada na unidade de terapia intensiva e que os exames de controle foram satisfatórios.

O boletim médico foi assinado pelos médicos Facundo Manes, diretor do Instituto de Neurociência, e Gerardo Bozovich, diretor do Hospital da Fundação Favaloro, e pelos dois responsáveis da unidade médica presidencial, Luis Buonomo e Marcelo Ballesteros. As visitas continuam permitidas somente para os familiares de Cristina, a mãe Ofelia Wilhelm, os filhos Florencia e Máximo e a irmã Giselle Fernández, além dos funcionários mais próximos, o porta-voz e os secretários de Assuntos Legais e Técnicos, Carlos Zannini, e da Presidência, Oscar Parrilli.

A satisfatória recuperação de Cristina leva a expectativas de que ela possa reassumir o cargo antes do prazo inicial estimado de 30 dias de repouso. Porém, a julgar pelas declarações de especialistas sobre a necessidade de um repouso estrito, pelo menos durante as primeiras duas semanas após a cirurgia, dificilmente a presidente apareceria em público antes das eleições parlamentares do dia 27 de outubro.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaCristina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.