Cristina tem duas vitórias em eleições na Argentina

O governo argentino conseguiu duas vitórias antes das eleições de 23 de outubro, com a reeleição de um governador aliado na província de Misiones, no norte do país, e o triunfo do peronismo governista no primeiro turno eleitoral na Terra do Fogo, no sul.

AE, Agência Estado

27 de junho de 2011 | 14h59

O governador de Misiones, Maurice Closs, aliado da presidente Cristina Kirchner, foi reeleito ontem com uma ampla margem para exercer um segundo mandato. Cristina tentará a reeleição, liderando a Frente para a Vitória. Ela é a favorita nas pesquisas.

"Temos um resultado que supera 77% dos votos", afirmou Closs em entrevista à imprensa na noite de ontem. O governador liderou a aliança Frente Renovadora da Concórdia, integrada por peronistas e dissidentes da opositora União Cívica Radical (UCR). Closs afirmou que a vitória "é uma contribuição para um projeto nacional". "Estamos para acompanhar Cristina em sua candidatura e estamos para ajudar a governar."

Segundo dados parciais, a candidata ao governo da Terra do Fogo pela frente governista, Rosana Bertone, venceu o primeiro turno das eleições de ontem com 12 pontos de vantagem sobre a governadora Fabiana Ríos, também aliada do governo de Buenos Aires. Bertone não obteve, porém, a porcentagem necessária de votos para vencer no primeiro turno.

Bertone mostrou esperanças de obter apoio de outras forças políticas até o próximo domingo, quando se celebrará o segundo turno eleitoral. Ela lembrou que acompanhava o governo desde Néstor Kirchner, o falecido ex-presidente da Argentina, antecessor de Cristina, com quem era casado.

Nas eleições recentes para governador em outras províncias, peronistas ou outros aliados da presidente obtiveram triunfos que favorecem Cristina antes das eleições gerais. Foi o que ocorreu em Catamarca, Salta e La Rioja, no norte, e também em Neuquén, no sul. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.