Criticada, NBC justifica decisão de exibir vídeo de atirador

A rede de televisão americana que recebeu as fotos, vídeos e a carta de Cho Seung-hui, autor do massacre de 32 estudantes da universidade Virginia Tech, "refletiu muito" antes de tornar público o material.Depois de mandar os documentos originais às autoridades federais, o presidente da NBC, Steve Capus, admitiu que foi "muito difícil" decidir que parte do material poderia ser exposta."Tentamos ser o mais respeitosos possível com as famílias envolvidas, e com a investigação em curso", declarou Capus, segundo publicou nesta quinta-feira, 19, o jornal The Washington Post.Mesmo assim, o presidente da rede de TV americana assegurou que "há material que não foi publicado"."O mais apropriado é que seu conteúdo não seja revelado", afirmou.Capus assinalou que é possível que as famílias afetadas acusem a mídia de dar a Cho a fama que ele buscava, mas acredita que há outras pessoas que querem conhecer os motivos que levaram o estudante a perpetrar o massacre."Há gente que quer, e precisa saber o que passava em sua cabeça, o que é o que o levou a fazer isso", explicou Capus. A decisão de publicar o material foi criticada pela polícia da Virgínia nesta quinta-feira. "Eu não gosto de pensar que tantas pessoas que não estão acostumadas a esse tipo de imagem tenham que vê-las", disse o chefe das autoridades locais.O presidente da NBC disse que a polícia da Virgínia solicitou à rede que atrasasse a emissão do material até que tivesse sido examinado totalmente.As primeiras imagens do vídeo foram exibidas pelo programa Nightly News, da NBC.Durante o programa, o ex-agente do FBI Clint Van Zandt disse que a divulgação do material significava "a última vitória" de Cho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.