Críticas de Netanyahu ao acordo nuclear são 'alarmismo', diz chanceler iraniano

O principal negociador nuclear do Irã afirmou neste sábado que o "alarmismo" do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, não vai impedir que a república islâmica e as potências mundiais cheguem a um acordo nuclear.

AE, Estadão Conteúdo

28 de fevereiro de 2015 | 18h25

O ministro das Relações Exteriores, Mohammad Javad Zarif, disse que o mundo não deve permitir que o líder israelense comprometa a paz. Ele se referia ao discurso contra o acordo nuclear que Netanyahu planeja fazer na próxima semana no Congresso dos EUA.

"Por meio de alarmismo, falsificação, e criando um atmosfera falsa, Israel está tentando impedir a paz", disse Zarif. "Eu acredito que essas tentativas são em vão e não devem impedir que nós cheguemos a um acordo."

Contudo, em sua crítica afiada, Netanyahu afirmou nesta semana que, ao abrir espaço para as negociações, as potências mundiais "desistiram" de fazer com que o Irã pare de desenvolver armas nucleares. Israel enxerga que o programa nuclear iraniano como uma ameaça à sua própria existência.

O Ocidente teme que o Irã possa construir uma bomba atômica com o seu programa nuclear e negocia um acordo para limitar o enriquecimento de urânio em troca do alívio de sanções econômicas internacionais. O Irã sempre reiterou que seus projetos têm fins pacíficos.

O plano é negociado com os Estados Unidos, a Rússia, a China, a Grã-Bretanha, a França e a Alemanha, que esperam chegam a um rascunho do projeto até o final de março. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãIsraelAcordo Nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.