Críticas de rebeldes líbios levam Argélia a fechar fronteira

A Argélia anunciou ontem o fechamento de sua fronteira com a Líbia no Deserto do Saara em resposta às declarações do Conselho Nacional de Transição líbio, que havia classificado o refúgio à família Kadafi como "ato de agressão". Em pronunciamento virulento contra Argel, rebeldes reprovaram o abrigo concedido à mulher e a três filhos de Muamar Kadafi na segunda-feira.

Andrei Netto, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2011 | 00h00

O protesto foi feito pelo porta-voz do CNT, Mahmoud Chamman. "Nós nos comprometemos a dar um julgamento justo a todos esses criminosos e consideramos que o refúgio é um ato de agressão. Aconselhamos todos a não proteger Kadafi e seus filhos. Nós os perseguiremos onde eles estiverem e os prenderemos."

As advertências foram feitas 18 horas depois que chancelaria da Argélia confirmou a chegada de Hannibal, Mohamed e Aicha, filhos do ditador, e de Safia, sua segunda mulher. O refúgio da família Kadafi foi concedido por "razões humanitárias", após a entrada de todos pela fronteira de Tinkarine. Aicha estava grávida e teria tido o bebê em meio à fuga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.