Críticas de Romney dividem os espanhóis

Os espanhóis já se acostumaram a ver manchetes negativas sobre a economia do país no café da manhã, mas nesta quinta-feira as críticas partiram de uma fonte inesperada: o candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Mitt Romney, que na noite da quarta-feira, durante o debate com o presidente Barack Obama, disse não querer que os EUA "sigam o mesmo caminho da Espanha", onde, segundo ele, 42% do Produto Interno Bruto (PIB) é gasto com o governo. "Nós (os EUA) já estamos gastando 42% da nossa economia com o governo. Eu não quero seguir o caminho da Espanha", disse Romney. Alguns espanhóis criticaram Romney, enquanto outros disseram não estar surpresos, dada a forte recessão que o país vive desde 2009, quando estourou a bolha imobiliária local.

AE, Agência Estado

04 de outubro de 2012 | 16h21

Na realidade, a Espanha gasta mais da sua economia com o funcionamento do governo. A agência Eurostat, de estatísticas da União Europeia (UE), informou hoje que em 2011 os gastos com o governo representaram 43,6% do PIB espanhol. Os gastos espanhóis, contudo, estão abaixo da média dos 27 países da UE, que é de 49,1% do PIB.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.