Críticas do Vaticano remontam à Idade Média, diz Israel

Israel rechaçou neste domingo uma declaração de bispos católicos segundo a qual o Estado judeu usa as escrituras sagradas para justificar a ocupação dos territórios palestinos. Para Israel, a argumentação dos bispos remonta a debates teológicos da Idade Média.

Agência Estado

24 de outubro de 2010 | 15h33

"O debate público teológico com relação a quem faz a interpretação mais correta das escrituras sagradas é uma coisa da Idade Média", disse Yigal Palmor, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel, à AFP. "Não me parece uma ideia sábia tentar reviver isso."

No sábado, bispos e patriarcas de todo o Oriente Médio encerraram um sínodo de duas semanas presidido pelo papa Bento XVI no Vaticano. Os líderes religiosos pediram à comunidade internacional que acabe com a ocupação de territórios árabes.

"Recorrer a posições teológicas e bíblicas que usam a palavra de Deus para erroneamente justificar injustiças não é aceitável", declararam os religiosos por meio de nota. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelVaticano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.