Crítico de Putin é barrado em eleição

Mikhail Kasyanov tem candidatura presidencial impugnada por comissão russa por suposta fraude em documentos

Moscou, O Estadao de S.Paulo

28 de janeiro de 2008 | 00h00

A Comissão Eleitoral Central (CEC) da Rússia barrou ontem a candidatura presidencial de Mikhail Kasyanov, único concorrente declarado de oposição ao Kremlin, sob alegações de fraude.A decisão da CEC aumentou as especulações de que as eleições de 2 de março serão manipuladas pelo governo a favor do vice-primeiro-ministro Dmitri Medvedev, candidato escolhido pelo presidente russo, Vladimir Putin, como seu sucessor.O órgão decidiu rejeitar a candidatura de Kasyanov porque, segundo suas investigações, 13,36% das assinaturas apresentadas para endossar sua participação eram falsas.Como pretendia concorrer pelo União Democrática do Povo, partido que não tem representação no Parlamento, o opositor de Putin precisava ter apresentado 2 milhões de assinaturas - com o limite máximo de apenas 5% desse total podendo ter algum tipo de erro.Kasyanov negou que tenha fraudado seus documentos e disse que a rejeição de sua candidatura foi uma manobra para bloquear qualquer oposição ao escolhido pelo Kremlin. "Eu não tenho dúvida de que Putin tomou essa decisão pessoalmente", afirmou Kasyanov, que se tornou crítico do líder russo após ser demitido como seu primeiro-ministro, em 2004. Em reação à impugnação de sua candidatura, o ex-premiê pediu um boicote às eleições para a presidência do país.As acusações de Kasyanov foram negadas pelo CEC, que afirmou que a decisão foi baseada nas "normas da lei". Apesar de pesquisas de opinião apontarem que ele dificilmente teria chances de ganhar a disputa, sua candidatura poderia ser um problema para o Kremlin por suas duras críticas a Putin. FAVORITISMOApontado como o sucessor de Putin, Medveded é o grande favorito das eleições. A última pesquisa de opinião, divulgada semana passada pelo Levada Center, dá a ele 80% das intenções de voto.Considerado um dos políticos mais leais ao Kremlin, Medvedev diz que seguirá as políticas adotadas por Putin. No mês passado, o presidente afirmou que aceitará ser primeiro-ministro caso Medvedev seja eleito. A Constituição russa impede Putin de tentar um terceiro mandato.Além de Medvedev, concorrem também à presidência russa o chefe do Partido Comunista, Gennady Zyuganov; o ultranacionalista Vladimir Zhirinovski; e o presidente do Partido Democrático da Rússia (PDR) e líder dos maçons, Andrei Bogdanov. AP, EFE E REUTERSCANDIDATOSDmitri Medvedev: Candidato pelo Rússia Unida, é o atual vice-premiê e foi escolhido pelo presidente Vladimir Putin como sucessor. Nas pesquisas, tem entre 60% e 82% das intenções de votoGennady Zyuganov: Candidato pelo Partido Comunista. Perdeu as eleições de 2000 contra Putin. Tem entre 6% e 15% nas pesquisas de intenção de votoVladimir Zhirinovski: Candidato pelo Partido Democrata Liberal da Rússia. É ultranacionalista. Nas pesquisas, aparece com 8% a 11% das intenções de votoAndrei Bogdanov: Candidato pelo Partido Democrático da Rússia. É líder dos maçons. Pesquisas indicam que tem apenas 1% das intenções de voto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.