Croácia e Eslovênia encerrarão disputa de fronteiras

Os ministros das Relações Exteriores da Eslovênia e da Croácia se reunirão em 10 de janeiro em Bruxelas para finalizar a criação de um tribunal de arbitragem para resolver uma longa questão sobre a disputa de fronteiras, disseram funcionários dos governos dos dois países balcânicos nesta quarta-feira.

AE, Agência Estado

04 de janeiro de 2012 | 14h39

O Ministério das Relações Exteriores da Eslovênia disse que o encontro entre o chanceler esloveno Samuel Zbogar e seu congênere croata, Vesna Pusic, foi marcado por Stefan Fuele, comissário de expansão da União Europeia. "Nós esperamos que na reunião nos seja apresentada uma lista (de candidatos ao painel de arbitragem), a partir da qual escolheremos o presidente e dois membros", disse Pusic aos jornalistas em Zagreb.

As duas ex-repúblicas iugoslavas disputam, desde a independência em 1991, uma área de 13 quilômetros quadrados, em grande parte desabitada, e a fronteira marítima na baía de Piran (Pirano, em italiano) no Mar Adriático, perto da fronteira italiana. A Eslovênia reivindica parte das águas territoriais de um trecho também reivindicado pela Croácia, o que lhe abriria um corredor até as águas internacionais do Mar Adriático, entre as águas territoriais da Itália e da Croácia.

A Eslovênia, com uma costa de apenas 46 quilômetros no Mar Adriático, vê seu acesso ao mar em perigo porque a Croácia, cuja costa adriática tem 1.700 quilômetros, deseja que sua fronteira marítima avance até a metade da baía de Piran.

A disputa suspendeu por dez meses o processo de adesão da Croácia à União Europeia em 2008 - o país assinou em 2011 o tratado para ingressar no bloco em 2013, enquanto a Eslovênia aderiu à UE em 2004. Os governos dos dois países assinaram um acordo de arbitragem, apoiado pela UE, em 2009.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.