Cronograma para a saída de tropas reanimou Taleban

Análise: Jeffrey Goldberg / Bloomberg

É COLUNISTA DA BLOOMBERG VIEW, CORRESPONDENTE DA REVISTA THE ATLANTIC, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2012 | 03h05

O objetivo dos ataques coordenados do Taleban no Afeganistão no fim de semana, que incluíram investidas contra o bairro diplomático da capital e o Parlamento do país, era "sabotar a confiança inspirada pelos avanços da Otan e do Exército afegão", de acordo com o New York Times.

Como se diz: missão cumprida. Embora as forças afegãs tenham encerrado o ataque com o auxílio da Otan, a facilidade com a qual o Taleban se infiltrou em Cabul, tida como a cidade mais segura do país, sugere que a situação geral da segurança no Afeganistão é frágil. Os ataques chamam a atenção para um problema maior: o governo de Barack Obama estaria seguindo um cronograma arbitrário - sem importar se o Taleban está ganhando ou perdendo.

Até setembro, os EUA planejam retirar 23 mil soldados. A retirada completa deve ocorrer até 2014. Diz-se que o povo americano já se cansou de gastar dinheiro e vidas num conflito antes chamado de "boa guerra".

Mas o que pensarão os americanos se, em 2015, grandes trechos do sul e do leste do Afeganistão voltarem para o Taleban? A capacidade de monitorar essas regiões estará aprimorada, especialmente se comparada à era anterior ao 11 de Setembro. O governo planeja continuar usando ataques com aeronaves não tripuladas e pequenos grupos das forças especiais no combate ao terrorismo no Afeganistão. Mas e se isso não for suficiente para impedir a Al-Qaeda de voltar a usar o local para treinar agentes e executar complôs?

O que pensarão os americanos ao saber que muitas afegãs terão sido obrigadas a retomar o uso da burca e meninas terão sido expulsas de escolas construídas com dólares americanos? Pedi a um representante do Exército americano que explicasse como se chegou a esse ponto. Ele respondeu com outra pergunta: como seria se os líderes ocidentais tivessem anunciado, em dezembro de 2009, que não retirariam as tropas de acordo com um cronograma, mas sim quando o Taleban estivesse derrotado? Tal demonstração teria feito com que o Taleban ruísse rapidamente. / TRADUÇÃO DE AUGUSTO CALIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.