REUTERS/Alexandre Meneghini
REUTERS/Alexandre Meneghini

Cronologia: 10 datas importantes dos mandatos de Fidel e Raúl

Da vitória da revolução ao revés que as relações com os EUA tiveram com Donald Trump comandando

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2021 | 05h00

O líder da revolução cubana Fidel Castro, morto em 2016, e seu irmão Raúl, que deixa a liderança do Partido Comunista a partir do dia 19, após o 8º Congresso do partido, lideraram o país por mais de 60 anos.

Conheça dez datas que marcaram os mandatos dos irmãos Castro:

Triunfo da Revolução 

Em 1º de janeiro de 1959, o ditador Fulgencio Batista foge de Cuba após 26 meses de luta guerrilheira dos irmãos Castro. Fidel proclama o "início da Revolução" a partir de Santiago de Cuba (leste). Em maio, o governo determina a primeira lei de reforma agrária expropriando terras de grandes latifundiários. 

Nacionalização e embargo 

Em 17 de agosto de 1960, empresas americanas em Cuba são nacionalizadas em resposta ao boicote do petróleo e à redução do sistema de cotas de açúcar, o que levaria ao rompimento das relações diplomáticas entre os dois países em 3 de janeiro de 1961. Em fevereiro de 1962, Washington decreta o  embargo comercial da ilha, em vigor até hoje.

Baía dos Porcos 

Entre 15 e 19 de abril de 1961, as tropas revolucionárias derrotaram 1.400 ativistas anticastristas treinados e financiados pela CIA que tentaram invadir Cuba através da Baía dos Porcos (Playa Girón). Em 1º de maio, Fidel declara o caráter marxista-leninista da revolução. Em 1965, as forças políticas existentes são unificadas no Partido Comunista de Cuba (PCC), o único desde então.

Crise dos mísseis

De 14 a 28 de outubro de 1962, os EUA descobrem mísseis instalados em Cuba pela União Soviética, desencadeando uma crise que fez o mundo temer o início de uma guerra nuclear.

Morte de Che

Em 9 de outubro de 1967, Ernesto Che Guevara, companheiro de luta de Fidel Castro, morre na Bolívia, um revés na luta de guerrilha que Cuba promoveu na América Latina, pela qual foi acusada de "exportar a revolução".

URSS 

Em 26 de julho de 1970, a "safra de 10 milhões" fracassa, com uma colheita de apenas 8,1 milhões de toneladas de açúcar, principal matéria-prima da ilha. Cuba se dirige à órbita econômica soviética e, em 1972, passa a integrar o Conselho de Assistência Econômica Mútua (Came).

Operação "Carlota" 

Em 5 de novembro de 1975, tem início a participação militar cubana na África, inicialmente em Angola, país mergulhado numa guerra civil após sua independência. Também marcam presença na Etiópia e, em menor grau, em uma dúzia de outros países. A ação terminou em 1991 e envolveu cerca de meio milhão de soldados. A operação foi chamada de "Carlota" em homenagem a uma escrava negra que lutou por sua liberdade na Cuba colonial.

Período Especial 

Em 29 de agosto de 1990, Cuba anuncia o início do Período Especial, um programa de ajuste e resistência para enfrentar a grave crise provocada pelo desaparecimento da URSS e do bloco comunista. Isso causou grande escassez na ilha, especialmente de alimentos.

Raúl no comando

Em 31 de julho de 2006, Raúl Castro, até então o número dois na liderança do país, substitui temporariamente Fidel, gravemente doente. Ele se torna oficialmente presidente em 2008 e dá início a um lento programa de reforma para "atualizar" o desgastado modelo econômico de estilo soviético. 

Morte do líder

Em 25 de novembro de 2016, Fidel morre aos 90 anos. Raúl anuncia o ocorrido em rede nacional de TV

Degelo com os EUA 

Em 17 de dezembro de 2014, Raúl Castro e o então presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciam o início de uma reaproximação que levaria ao restabelecimento das relações em 2015, após mais de meio século de confrontos entre os dois países. Começa o processo de degelo, que será interrompido após a chegada de Donald Trump à Casa Branca em janeiro de 2017 com um forte reforço das sanções econômicas. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.