Cronologia do programa nuclear da Coréia do Norte

Com seis meses de atraso, Pyongyang entrega relatório de atividades nucleares e sai do 'eixo do mal' americano

AP e Reuters,

26 de junho de 2008 | 16h26

Com mais de seis meses de atraso, a Coréia do Norte entregou nesta quinta-feira, 26, o muito aguardado relatório de suas atividades nucleares à China, cumprindo um acordo firmado entre seis nações - incluindo os Estados Unidos, Rússia, China, Coréia do Sul e Japão. Veja a cronologia do desenvolvimento do programa nuclear norte-coreano:   - 1986: Coréia do Norte começa a operar um reator nuclear de 5 megawatt em Yongbyon após sete anos de construção com ajuda soviética.   - 1993: Coréia do Norte diz que sairá do Pacto de Não-Proliferação Nuclear, e posteriormente suspende sua saída.   - 1994: Coréia do Norte e Estados Unidos assinam um acordo onde Pyongyang encerraria as operações do reator nuclear de Yongbyon em troca de ajuda para o desenvolvimento de dois outros reatores para produção de eletricidade.   - 29 de janeiro 2002: O presidente americano George W. Bush coloca a Coréia do Norte, o Irã e o Iraque no "eixo do mal."   - 4 de outubro de 2002: Washington anuncia que a Coréia do Norte admitiu para uma delegação americana, que visitava o país, que teria um programa de enriquecimento de urânio.   - 21 de novembro de 2002: Um consórcio americano declarou que estava suspendendo a construção de dois novos reatores.   - 11 de janeiro de 2003: Coréia do Norte retira-se do Pacto de Não-Proliferação Nuclear.   - 27-29 de agosto de 2003: Coréia do Norte se junta ao primeiro round de diálogo com seis nações, incluindo China, Japão, Rússia, Coréia do Sul e EUA.   - 10 de fevereiro de 2005: Coréia do Norte anuncia que tem armas nucleares.   - 9 de outubro de 2006: Coréia do Norte faz um teste nuclear subterrâneo.   - 13 de fevereiro de 2007: Durante as conversas as com as seis nações, a Coréia do Norte concorda em tomar os primeiros passos para o desarmamento nuclear, após medidas de Washington para ajudar a liberar cerca de US$ 25 milhões que estavam congelados em contas norte-coreanas.   - 14 de julho de 2007: Coréia do Norte encerra operações de seu reator em Yongbyon.   - 6 de setembro de 2007: Aviões israelenses atacam um reator nuclear sírio, alegando que a construção seria designada a ajudar a Coréia do Norte.   - 3 de outubro de 2007: As seis nações acordam que a Coréia do Norte envie uma completa declaração de seu programa nuclear e desarme instalações de seu principal complexo de reatores até 31 de dezembro daquele ano.   - 5 de novembro de 2007: Coréia do Norte começa a desativar o reator de Yongbyon sob a observação de especialistas americanos.   - 31 de dezembro de 2007: Vence o prazo do envio da declaração norte-coreana sobre seu programa nuclear.   - 26 de fevereiro de 2008: A Orquestra Filarmônica de Nova York se apresenta em Pyongyang, capital norte-coreana. O fato foi o maior intercâmbio cultural entre EUA e Coréia do Norte desde a Guerra Coreana (1950-1953).   - 24 de abril de 2008: A Casa Branca anuncia que a Coréia do Norte ajudou no programa nuclear secreto da Síria, e que o reator nuclear destruído por Israel não tinha propósitos pacíficos.   - 8 de maio de 2008: Coréia do Norte entrega aos Estados Unidos mais de 18 mil páginas de registros do reator de Yongbyon após discussões entre os dois países para resolver pontos de discordância sobre o conteúdo da declaração nuclear norte-coreana.   - 16 de maio de 2006: Estados Unidos afirmam que irão prover mais de 500 mil toneladas de alimentos à Coréia do Norte como ajuda humanitária, não associada aos acordos nucleares.   - 26 de junho de 2008: Coréia do Norte entrega à China o muito aguardado reporte nuclear. Em seguida, Bush anuncia que os Estados Unidos retirarão Pyongyang da lista dos países patrocinadores do terrorismo e que algumas sanções contra o país serão levantadas.

Tudo o que sabemos sobre:
Coréia do Norteprograma nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.