J Pat Carter/AFP
J Pat Carter/AFP

Cruz garante que é o único capaz de derrotar Trump nas prévias republicanas

Afirmação foi feita após resultados recentes das primárias do partido e do apoio que passou a receber da ex-candidata Carly Fiorina

O Estado de S. Paulo

10 de março de 2016 | 09h15

MIAMI - Após os últimos resultados das eleições primárias e do apoio da ex-candidata à presidência dos EUA Carly Fiorina, Ted Cruz voltou a afirmar na quarta-feira que é o único capaz de impedir a vitória de Donald Trump nas prévias republicanas, enquanto Marco Rubio, favorito pela cúpula do partido, tenta se manter vivo na disputa.

Os resultados de terça-feira deixaram o senador de origem cubana na berlinda. No dia seguinte, Rubio teve que reiterar sua intenção de seguir na corrida presidencial após seus rivais e analistas políticos terem pedido que ele abandone a candidatura.

"Eu quero ser o presidente dos EUA", garantiu Rubio em um comício realizado em Miami, sua cidade natal, que receberá nesta quinta-feira, 10, um debate dos pré-candidatos republicanos. Ele ainda descartou a possibilidade de renunciar para ser vice-presidente em uma possível chapa liderada por um de seus rivais.

No entanto, um editorial publicado pelo jornal The Washington Post, assim como outras publicações americanas, pediu que Rubio abandone o sonho de chegar à Casa Branca.

O melhor colocado para tentar superar Trump, tanto nas pesquisas como nas prévias, é Cruz. O senador pelo Texas, também de origem cubana, venceu em Idaho e foi o segundo colocado nos outros três estados onde foram realizados primárias ou caucus (assembleias populares) - Mississipi, Michigan e Havaí.

Na quarta-feira, Rubio recebeu mais um golpe ao saber que Carly apoiará Cruz. A ex-candidata, que decidiu abandonar a corrida no dia 10 de fevereiro, avalia que somente Cruz é capaz de derrotar Trump. "É a única maneira de os republicanos derrotarem Hillary Clinton".

"Cruz é um feroz lutador pelos direitos constitucionais e um líder reformador, afastado da classe política de Washington e inequivocamente ao lado do povo americano", afirmou Carly, que revelou já ter votado em Cruz nas primárias do Estado da Virgínia. "O senador tem orgulho de ser conhecido pelos inimigos que fez em Washington. Esse é o preço da liderança".

Ainda no comício, Cruz afirmou que a campanha se transformou em um duelo particular entre ele e Trump, uma clara mensagem para Rubio. Depois das votações, o magnata tem agora 446 delegados, contra 347 de Cruz e 151 de Rubio. Para vencer a indicação, o candidato precisa de um total de 1.237.

"Os conservadores estão se unindo a nós e essa corrida continua se estreitando para chegar a um duelo entre dois. Em um mano a mano, Trump perde", disse Cruz, em meio aos aplausos de seus eleitores.

As primárias da Flórida, marcadas para ocorrer na terça-feira, são decisivas para a definição da indicação do Partido Republicano. O vencedor leva todos os 99 delegados em jogo. Diferentemente de outros Estados, não há uma repartição proporcional ao número de votos.

Por esse motivo, Rubio aposta em uma vitória em seu Estado natal para seguir na corrida, apesar de ter vencido em apenas 2 dos 20 Estados que já foram às urnas em primárias ou caucus.

O triunfo, porém, está cada vez mais distante. As pesquisas de intenções de voto não ajudam. A última delas, publicada pela emissora CNN, dá a Trump 16 pontos porcentuais de vantagem sobre Rubio, que teria apenas 24% dos votos.

Apostando nos eleitores da Flórida, o senador passou os últimos dias realizando vários comícios no Estado e inclusive voltou a utilizar o espanhol para falar com a grande comunidade hispânica que vive no sul da região. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.