Associated Press
Associated Press

Cruz Vermelha cria abrigo para 15 mil sobreviventes de tsunami

Samoa foi atingida por ondas gigantes provocadas por terremoto; autoridades falam em mais de 100 mortos

Efe e Reuters,

30 de setembro de 2009 | 14h59

 A Cruz Vermelha de Samoa abriu cinco abrigos temporários nesta quarta-feira, 30, nas ilhas Samoa para receber os cerca de 15 mil sobreviventes do tsunami provocado por um terremoto de 8,3 graus na escala Richter.

 

Veja também:

Fotos: Veja galeria de imagens

 

"A Cruz Vermelha samoana interveio imediatamente e 135 de seus voluntários alertaram a população para que se afastasse das praias, ajudaram nas tarefas de retirada da cidade de Apia e arredores, e abriram cinco abrigos temporários", disse a organização. "Neste momento, os voluntários distribuem água potável, provisões de primeiros socorros, toldos e outros artigos de socorro às vítimas", afirmou a Federação Internacional da Cruz Vermelha.

 

Um forte terremoto na região do Pacífico gerou na terça-feira um tsunami que arrasou aldeias litorâneas das ilhas Samoa, onde o Centro de Gestão de Desastres estima que mais de 100 pessoas morreram e dezenas estão desaparecidas.

 

O terremoto, que segundo o Serviço Geológico dos EUA foi de 7,9 graus de magnitude na escala Richter e de até 8,3 graus de acordo com outros organismos científicos, originou ondas que alcançaram os seis metros de altura que atingiram as costas de Samoa e Samoa Americana.

 

Em Tonga, várias localidades estão inundadas, por isso os voluntários da Cruz Vermelha local colaboram na assistência humanitária e nas avaliações.

 

Vítimas e ajuda

 

As autoridades de Samoa estimam que mais de 100 pessoas podem ter morrido por conta do tsunami, várias delas arrastadas para o mar. Algumas aldeias foram destruídas, e há centenas de feridos. Imagens de TV mostraram casas rachadas ao meio, carros submersos no mar ou em cima de árvores e grandes barcos de pesca encalhados.

 

O presidente dos EUA, Barack Obama, declarou situação de desastre na Samoa Americana e liberou recursos federais para os esforços de recuperação. Um avião militar C-130 deve partir em breve do Havaí para o remoto território americano no Pacífico.

 

Na vizinha Samoa Americana, há pelo menos 24 mortos e 50 feridos, segundo o governador Togiola Tulafono, que está no Havaí. De acordo com ele, a porção sul da ilha principal, Tutuila, foi "devastada", e autoridades dizem que o número de vítimas fatais ainda pode aumentar.

 

Em Washington, Obama divulgou nota de pesar e disse que os EUA estão prontos para ajudar os territórios atingidos. "Vamos continuar a fornecer os recursos necessários para reagir a essa catástrofe, e vamos manter aqueles que perderam tanto em nossos pensamentos e orações," disse ele.

Tudo o que sabemos sobre:
Samoaterremototsunami

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.