Cruz Vermelha critica condições de presos em Guantánamo

A Cruz Vermelha Internacional condenou a detenção prolongada de prisioneiros por militares americanos, sem acesso a direitos legais, na base de Guantánamo, em Cuba. Segundo a organização, sinais de instabilidade mental entre os prisioneiros e seguidas tentativas de suicídio indicam problemas graves na operação americana.Encerrando uma visita de dois meses à base, a Cruz Vermelha - único grupo independente com acesso aos mais de 600 prisioneiros - disse ter encontrado uma ?deterioração preocupante? na saúde mental de muitos dos detidos.Alguns dos prisioneiros, suspeitos de ligação com o Taleban ou a Al-Qaeda, estão retidos na base há mais de 18 meses. Florian Westphal, porta-voz da Cruz Vermelha, declarou que ainda não houve ?nenhum movimento significativo? por parte das autoridades americanas para que os presos de Guantánamo sejam tratados de acordo com as regras aplicáveis a prisioneiros de guerra.O porta-voz da Casa Branca, Scott McClellan, repudiou as críticas. ?Lembro que esses são combatentes inimigos que estão sendo mantidos na Baía de Gutantánamo?, disse. ?Eles são tratados com humanidade?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.