Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Cruz Vermelha fecha acordo com Maduro e Guaidó para entregar ajuda na Venezuela

Entidade afirmou que não aceitará nenhuma interferência política no processo, em meio à disputa entre o governo e a oposição

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2019 | 14h51

CARACAS - A Federação Internacional da Cruz Vermelha fechou um acordo com o governo e a oposição da Venezuela para em 15 dias distribuir ajuda humanitária para 650 mil pessoas no país. A entidade afirmou que não aceitará nenhuma interferência política no processo, em meio à disputa entre o governo de Nicolás Maduro e o líder parlamentar da oposição Juan Guaidó.

Em meio à escassez aguda de alimentos básicos e medicamentos, a entrada da ajuda humanitária tornou-se um dos elementos centrais da luta pelo poder entre Maduro e Guaidó, reconhecido como presidente encarregado da Venezuela por mais de 50 países, liderados pelos Estados Unidos.

Segundo  Francesco Rocca, presidente da Federação Internacional da Cruz Vermelha, a entidade está disposta a trabalhar com a ajuda humanitária acumulada nas fronteiras da Colômbia e do Brasil com a Venezuela, desde que isso ocorra sob as regras da instituição. 

"Essa é uma questão muito politizada... Se essa ajuda estiver de acordo com nossas regras e nossos protocolos, é claro que estamos dispostos a distribuí-la", disse. 

Em 23 de fevereiro, os carregamentos de alimentos e suprimentos médicos administrados por Guaidó e enviados pelos Estados Unidos para a Colômbia e o Brasil foram bloqueados pelo governo em meio a tumultos que deixaram cerca de sete mortos e dezenas de feridos. Maduro alegou que essas acusações eram uma "desculpa" para uma intervenção militar com o objetivo de derrubá-lo. /AFP

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.