Cruz Vermelha leva ajuda à Síria, apesar de bloqueios

Equipes da Cruz Vermelha entregaram alimentos, cobertores e kits médicos neste domingo em localidades da província central de Homs, na Síria, embora o governo tenha bloqueado o acesso ao distrito de Baba Amr, antes dominado por rebeldes. O grupo humanitário está tentando ajudar as famílias que deixaram Baba Amr depois do cerco que durou um mês. Elas se abrigaram em vilarejos próximos, segundo o porta-voz da Cruz Vermelha em Genebra, Hicham Hassan.

AE, Agência Estado

04 de março de 2012 | 20h27

"As necessidades são amplas principalmente de alimentos e cobertores, por causa do frio", afirmou. As forças do governo bloquearam o acesso da ajuda humanitária a Baba Amr desde sexta-feira, um dia depois que as tropas a tomaram dos rebeldes. Combatentes da oposição mantinham o controle da região há alguns meses e a ofensiva do regime em Homs começou no início de fevereiro para retomar as áreas dentro da cidade.

Tropas sírias conseguiram retomar Baba Amr depois de quase um mês de intenso combate, e ativistas disseram que centenas foram mortos em bombardeios diários, que levaram a uma batalha final na quinta-feira passada. Alguns moradores de Baba Amr morreram quando, desesperados, tentaram sair de suas casas em busca de comida.

Ativistas disseram os moradores enfrentam uma catástrofe humanitária em Baba Amr e outras partes de Homs, terceira maior cidade da Síria, com população de um milhão de pessoas. A eletricidade, a água e as comunicações foram cortadas e nos últimos dias tem feito muito frio e nevado.

O governo afirmou que deixaria a Cruz Vermelha entrar em Baba Amr na sexta-feira, mas bloqueou o acesso durante dias, citando preocupações com a segurança. Mas, ativistas acusaram forças da Síria de matar dezenas de residentes, queimando casas e executando-os, numa vingança contra aqueles que acreditavam estar apoiando os rebeldes. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.