Cruz Vermelha pede a Israel e palestinos que respeitem esforço humanitário

A Cruz Vermelha Internacional lançou nesta terça-feira um solene apelo às forças israelenses e palestinas para que respeitem os esforços do pessoal médico que tenta salvar vidas dos dois lados em conflito. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha, que tem madato da Convenção de Genebra para ajudar vítimas de guerra, citou a "súbita degradação" das relações com funcionários israelenses como o principal problema. "A mais básica pré-condição numa situação de violência é a de que todo o pessoal médico e voluntários sejam autorizados a desempenhar seu trabalho sem serem perturbados", disse um comunicado conjunto do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (ICR), da Federação Internacional da Cruz Vermelha e das Sociedades do Crescente Vermelho, que são o correspondente da Cruz Vermelha nos países islâmicos.Os trabalhadores e voluntários da Cruz Vermelha pertencentes ao ramo palestino do Crescente Vermelho têm recebido nos últimos dias "freqüentes e muitas vezes sérias solicitações (de ajuda)" às quais têm sido impedidos de atender na Cisjordânia, disse o comunicado.Segundo o ICR, "demoras de mais de 8 horas nos postos de checagem, recusa em permitir livre passagem e rápido acesso às vítimas, embaraços ao paessoal de várias ambulâncias do Crescente Vermelho palestino estão prejudicando seriamente o envio de assistência médica e humanitária necessitada com urgência". Apelando "solene e urgentemente" a todas as forças envolvidas, o ICR e a Federação Internacional esperam por "uma rápida melhora nas comunicações, para que a vital assistência humanitária possa chegar até os palestinos", acrescenta o comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.